Share |

Louçã na Manta Rota: veto à lei do divórcio baseia-se num conceito reaccionário

 

Francisco Louçã acusou o presidente da República de ser "insensível e insensato" por ter vetado a lei do divórcio, considerando que esta decisão se baseia no conceito "reaccionário" e "extraordinário" de que pode haver casamentos por decisão unilateral. O líder do Bloco de Esquerda discursava na Manta Rota (Algarve) num comício a que assistiram algumas centenas de pessoas.

Em comício realizado este sábado à noite na Manta Rota, perto de Vila Real de Santo António, Francisco Louçã voltou a criticar o veto presidencial à lei do divórcio que tinha sido aprovada na Assembleia da República. Louçã defende o parlamento deve voltar a discutir e a aprovar esta lei.

Segundo o líder do Bloco de Esquerda, "o presidente da República mostrou nesta matéria ser um homem insensível e insensato", afirmando que a decisão de voto se baseou num conceito "reaccionário" e "extraordinário" que parte do pressuposto de que pode haver casamentos por decisão unilateral.

Perante algumas centenas de espectadores, Louçã questionou ainda a demagogia do PSD em relação aos problemas de segurança pública e acusou o governo de ser o maior promotor do trabalho precário em Portugal. "Como é que se pode levar a sério um governo que quer reduzir o trabalho precário, quando é o maior patrão do trabalho precário em Portugal?", questionou o líder do Bloco.